segunda-feira, 16 de abril de 2012

Necronaura e Velhas Virgens


Sabe um dos maiores problemas dos quadrinhos nacionais...é a continua reclamação dos quadrinistas nacionais em reclamar da falta de apoio de todo mundo para a criação do mercado nacional....
...ignorando o fato do roteiro ruim.
Ignorando o fato que o Brasil tem sim um mercado grande de quadrinhos(é extremamente difícil comprar as revistas em nossos países vizinhos), fora isso temos todo o império da Turma da Mônica.

E isso é um ponto principal dos quadrinhos sufocados do Brasil...quem está no mercado sempre sufoca quem está por fora(isso sem falar a insistência de alguns roteiristas em desenhar as próprias histórias, e alguns desenhistas em escreve-las(E em alguns casos...a pessoa não devia ter feito nenhum).

Outro ponto é que temos muitos estudiosos, professores, pesquisadores, prêmios, Historiadores....mas não temos um maldito mercado, ou uma maneira de acessar ou descobrir quem são esses personagens que mereciam ficar na história da nossa cultura.

Não entrando muito nos méritos, mas em pelo menos dois livros e em algumas listas eu via um tal de Gênios entre os primeiros Super-Heróis nacionais(ao lado de Bola de Fogo)...e quando finalmente encontrei a bendita ÚNICA edição do gênio...ela é a porra de uma história em quadrinhos aonde o tal gênio explica todo o processo da gasolina e do petróleo pra um bando de roqueiros estilo...ISSO NÃO É UMA HQ!!!

Estranhamente enquanto algumas publicações ruins sempre re-aparecem nessas pesquisas, muitas outras de até algum sucesso são esquecidas, seja por regionalismo seja por brigas internas(assim como na politica, no Brasil o Mercado de quadrinhos tem um nepotismo forte).

Mas deixando as outras histórias vou falar das duas ultimas "HQs Nacionais" que comprei, e francamente elas as vezes tem os mesmos problemas, e as vezes problemas diferentes,mas que atrapalham, mas vamos a elas Asterix:

As Eliticas E Eletrizantes Aventuras das Velhas Virgens:

Nunca vi essa revista em lugar nenhum(nem em lojas especializadas) fora a barraquinha de merchan(todos sabem que uma das razões do Rock é vender camisetas) dos shows das Velhas, e na boa nem pensei que fosse difícil, só é preciso um pouco de bebida, mulheres e as histórias iam fluir, sem falar que sou fã da banda.
As histórias não são nada demais, são de humor e seguem uma fórmula meio "desenho da Hanna -Barbera", a banda está endividada, precisam de dinheiro, arrumam um show, muitas confusões, terminam seguindo para o próximo show....Nada demais...(esse review vai meio genérico pq a revista não está aqui comigo) e agora os problemas:
-Primeiramente....um dos principais problemas dos quadrinhos nacionais é o preço, e como combatem isso no Brasil?Enchendo de inutilidades a revista, as primeiras páginas temos introduções da vida dos roteiristas, do cara que escreve a introdução, da luta que foi terminar e publicar a revista, uns desenhos de outros desenhistas em homenagem a banda, temos ainda algumas páginas mostrando TODOS os paços de como se faz um quadrinho desde o rascunho até a página finalizada pós arte final....MÁ PRA QUE ESSA PORRA!?!?!?!?
-Os desenhos são ruins >Ver Aqui< Não irritariam se o roteiro fosse bom, mas apesar de algumas piadas a maior parte do texto é chato e cansativo, inclusive temos alguns pontos aonde o personagem errado esta falando, e até o texto estar fora de ordem.
-Após a primeira história...a nudez some da revista, pode não parecer uma real reclamação na sua opinião, mas então você não conhece a idéia da banda das velhas virgens.
-Os personagens não são apresentados em momento algum, sim sei que eles são os membros da Banda...mas como no geral eles não são apresentados com personalidades muito diferentes na revista(a maioria dos diálogos pode se dito por qualquer personagem sem isso realmente importar), a única apresentação dos personagens é quando a fórmula da revista muda totalmente e os personagens viram piratas(fazendo a nova apresentação ser irrelevante).
-Essas reclamações não seriam tão ruins, se não fosse como eu disse o problema das inúmeras apresentações e babação de ovo nas introduções da revista, saber dos anos que demoraram pra revista ficar pronta, e a participação de editores(Inclusive da revista do Urtigão da Disney). e quadrinistas profissionais só piora...não é recomendada para fãs de quadrinhos ou da banda(sério amigos meus fãs da banda pararam de ler em poucas páginas).


Necronauta: O Almanaque dos Mortos


Meu Deus a tempos não me sentia tão roubado ao comprar uma HQ, aliás por todo o mercado de quadrinhos nacional(que uns dizem que é inexistente,mas temos a HQ que mais vende exemplares), Necronauta é o maior embuste que já vi, e o problema...é que você não vai encontrar nenhum review falando mal dessa revista que dificilmente avaliam com uma nota com menos de 8/10 por ai, sem falar dos inúmeros prêmios e elogios, chegando a ponto dessa revista ser marcada como o ideal para que os outros brasileiros sigam....bem vamos por partes:

A Sinopse da revista(que é o segundo compilado das histórias):
"A Missão do Necronauta é conduzir a Alma dos mortos ao além.Sua especialidade são aqueles que têm tendências e ficaram presos ao plano intermediário, almas penadas assombrações e poltergeists, usando do seu Necrodisco, do seu Necrocinto de utilidades e de sua astúcia."

Fora que irei demonstrar que ele não faz nada disso na revista...a sinópse tem mais um parágrafo falando de quão bom é a revista.

A revista falando nisso é um primôr, desde capa bem colorida em alto relevo, umas palavras de Sidney Gusman (um cara que deveria ser importante por qualquer motivo), ainda temos aquelas abas que marcam páginas(meio imbecil de ter isso numa HQ) e o principal...a revista vêm lacrada pra impedir qualquer análise do material sem o comprar.

Bem comprado a revista(por um preço bem caro), temos os primeiros vislumbres...o desenho de Danilo Beyruth é ótimo, ele tem estilo e as histórias tem estilos diferentes umas das outras, em contra partida quase toda a revista é em preto e branco e pra piorar boa parte dos quadrinhos não possuem qualquer fundo(ficando apenas um quadro em branco ao fundo).

Dai fora as páginas normais de perda de espaço que temos em compilados temos um índice e nossa primeira história: "Eterno Entardecer" aonde um jovem garotinho vaga pelos desertos do Limbo até se deparar com um gigante sentado olhando ao vazio, o gigante conta sua história como um velho deus que agora se encontra esquecido por todos, o garoto  envergonhadamente conta sua pequena história e o deus simplesmente o saúda pela sua aventura que resultou na morte dele, Necronauta aparece e leva o garoto embora.
História boa com belos desenhos e mostra um pouco do universo do Necronaura....

Bullying: Necronauta segue um grupo de crianças fantasmas que infernizam a vida do caminhoneiro que foi responsável pela morte deles, história vai e o Necronauta eventualmente convence que não valeia a pena passar a não-vida com rancor.nhé nada demais.

Sala de Espera: vemos a monotomia de uma Alma que está presa no hospital(nota quando quiser mostrar monotomia, mostre em uma página, não precisa entediar o leitor tb), pq seu corpo sobrevive por aparelhos, ela testemunha um demônio(?) roubar a alma de um político corrupto, o Demônio a segue e  Necronauta aparece pra ajudar...dando porrada no demônio enquanto ela se refugia no berçário.


(então temos um labirinto de passatempo...e na boa só coloque isso se vc tem renome tipo o Alan Moore)

A Rainha do Grito: Essa história é boa, mostrando obviamente a morte de uma atriz reclusa cuja a alma se perdeu em meio a sua memória dos filmes, ao mesmo tempo que alterna com a busca de seu ultimo fã por ela...e vou dizer essa história tem o problema de ser curta demais(menso de 10 páginas), tanto que somente em uma aparição do Necronauta nos filmes dos sonhos ele é reconhecível, sem falar que com o final já aproximando não é m grande ohhhh ele aparecer como o diretor depois....o final é bom,mas previsível  por quilômetros.


Love Story: apesar do desenho a pior de todas, um senhor conta a história de sua vida e de como conheceu e era maravilhoso a vida com sua esposa e no final ele descobre que o melhor amigo transou com a mulher dele depois do funeral...história longa e chata com um final bem brasileiro de achar que infidelidade é engraçado(se bem que nesse caso nem era infidelidade:P)...hey sabe oque devia ser legal nessa hora?uma bendita história sobre o necronauta!!!!


(Temos outro passatempo...um caça-palavras...que é isso a revista Cocktail!?!?!)

Sala de espera parte 2: em 4 páginas, descobrimos que o corpo da alma da parte 1 morreu, ela passou um tempo ajudando no hospital, e agora vai fazer a passagem deixando seu coração para alguém que o recebeu de transplante.aliás isso é uma história em quadrinhos...que tal ao invés dela falar que ajudava...sei la...MOSTRAR OQUE ELA FAZIA PRA AJUDAR?


(E temos palavras cruzadas-_-')

Depois temos uma grande sessão de Fanarts de desenhistas sobre o Necronauta...e porra esses fanarts tem ação...até ia reclamar desse desperdício de espaço e que você está pagando por isso...mas na boa as capas são legais e colocam uma ação numa revista que não tem.

E temos a ultima história...que magicamente fica a cores e tem défict de atenção, ela começa com uma filosofia sobre vida e morte e várias imagens sobre isso por três páginas, que desemboca  numa página dupla mostrando vários "condutores"(gente como o Necronauta que cuida das almas) e eles tem desings ótimos! e após isso outra página dupla mostrando um dos Condutores como um rival cuzão do Necronauta...e começa nossa história:
Necronauta e Cavalevax disputam (na moeda) quem deve levar a alma de um bombeiro, pois ela se enquadra no motivo dos dois de conduzir os mortos, e depois urge uma Valquiría falando que o bombeiro está "lutando" com o fogo e que a interpretação é aberta(¬¬) então cada um tem uma chance de levar o bombeiro....Cavalevax tenta levar a força e é nocauteado...e Necronauta tenta usar sua astúcia e não convence...e a Valquíria usa seus peitos de fora e vence....FIM DO VOLUME 2.

Olha já me estendi demais...e posso falar muita merda sobre essa revista do Necronauta que todo mundo idolatra, o gênero sobrenatural é sim usado e muito nos quadrinhos(e na TV, francamente todos assistem supernatural), citando pelo alto temos todo os anos 50 da Marvel, o Martin Mistery e francamente a originalidade do Necronauta se perde quando você conhece o personagem Desafiador da DC(Nem ele nem o gênero são algo novo).
Ainda mais...voltando a sinópse...o Necronauta NÃO utilizou seu cinto de utilidade, Apareceu no seu Necrodisco,mas aparecia se locomovendo sem ele também, e sua Astúcia só serviu para...CONVENCER CRIANÇAS, ele luta contra um demônio se atirando nele, e falha na ultima história.

Francamente...Necronauta: o Almanaque dos Mortos, não é nada demais...são histórias curtas demais e que parecem de outros lugares, temos a total falta de um protagonista e muitos elogios e luxo para uma revista...que é muito medíocre e sem personalidade própria(O Necronauta é mais uma revista para ficar no meio de uma Fanzine, que um título próprio).

Ohhh caralho o texto ficou enorme e sei que quando isso acontece ninguém lê....então fiquem com as Velhas Virgens:
Ahh o desing do Necronauta é foda...falem com a Estrela pra fazer uma linha de brinquedos, pô!

4 comentários:

Anônimo disse...

Acabei de notar que a melhor revista do compilado sequer é do escritor, a Rainha do Grito é escrita por um convidado.

-Lance

Evil Monkey disse...

Tinha esquecido de comentar ^^`.

A revista do necronauta não pareceu tão ruim, só meio meh pra mim, se bem que eu não li.

Mas eu achei a premissa interessante, e algumas histórias soaram legais quando você descreveu, mas novamente, eu não li.

Márcio, o Couto disse...

Essa revista do Necronauta até me pareceu interessante. Tudo bem que me lembrou pracacete Sandman, tanto a temática quanto a narrativa.

Esse Velhas Virgens eu prefiro não comentar hahahaahha


Um grande abraço, cara! Mandou bem de novo!

Frederic A. Spekman disse...

Pô, Avalanche! Tu tá cada dia mais preguiçoso! Já tem quase um mês sem review. Já estamos em Maio, cara!